Amigos do Zippy na prática: Um depoimento emocionante – parte 1

WhatsApp Image 2017-02-23 at 16.32.10Comentários: Katia Negri

Olá, me chamo Carolina Soledad Fortunato Silva e sou professora de Educação Infantil e Fundamental I. Fui convidada pela ASEC – Associação pela Saúde Emocional de Crianças, a contar um pouco da minha experiência com o programa Amigos do Zippy, devido à paixão que o programa me devolveu após 16 anos trabalhando. Não que tivesse perdido o amor por ensinar, mas o programa me trouxe novas ferramentas para o trabalho que desenvolvo na prefeitura de São Paulo, com minhas turmas do Fundamental I.”

Amigos do Zippy: Muitos professores, assim como a Carolina, relatam que adquirem novas ferramentas para lidar com algumas situações em sala de aula ao desenvolverem o Amigos do Zippy. Mas, que ferramentas são essas?

Ao participar dos encontros de capacitação oferecidos pela ASEC (cuja metodologia é reconhecida pelo MEC e incluída em seu Guia de Tecnologias Educacionais da Educação Integral e Integrada), os professores são levados a refletir a respeito de várias situações do dia a dia, através da perspectiva das emoções.

O efeito disso, em muitos casos, é uma maior aproximação entre professores e alunos, além do uso de diversas técnicas e perguntas que fazem parte do programa, favorecendo o desenvolvimento emocional das crianças, e auxiliando o professor a encontrar caminhos mais eficazes.

Um bom exemplo de situação do cotidiano escolar, que frequentemente ocorre, e em muitos casos o professor despende muito tempo para mediar, são os conflitos entre alunos. Os relatos de professores que participam do Amigos do Zippy apontam que tanto os alunos aprendem a resolver conflitos com mais autonomia, quanto professores também aprendem as técnicas oferecidas pelo programa (ferramentas) para estimular os alunos e favorecer o seu desenvolvimento.

Desde o início da minha carreira, sempre busquei diversos caminhos para conseguir atingir meus alunos e a questão sócioemocional sempre foi um deles, isso, devido à realidade que nossos alunos vivenciam.

Como professora da rede pública sempre tive muito claro, que não seria fácil apresentar o mundo à crianças, que, em sua grande maioria vivem situações de risco ou situações que adultos com sua maturidade, não tem preparo algum para resolvê-las. Trazer a esperança às crianças mostrando à elas, que são capazes de realizar o que desejarem com destreza e competência, era um dos meus caminhos.

Dizer que acredito que cada um deles é capaz e que podem melhorar suas vidas era já pra mim apaixonante, pois não havia nada mais bonito do que ver em seus olhinhos brilhantes a gratidão e a esperança, para aí sim, depois de restaurar a auto estima entrar com o conhecimento. É claro, que minhas ações até então foram muito intuitivas. Até conhecer o “Programa Amigos do Zippy”, que me trouxe embasamento e mostrou-me caminhos que tiveram resultados indescritíveis. “

Amigos do Zippy: Costumamos dizer que o professor é a alma do programa Amigos do Zippy, por isso, a ASEC, como representante exclusiva do programa no Brasil, investe na capacitação desse educador, acompanhando-o e apoiando-o durante todo o desenvolvimento do programa.

Os resultados podem ser observados por meio das diversas avaliações realizadas, evidenciando seu impacto nas transformações emocionais, sociais e acadêmicas das crianças.

Esses resultados estão em sintonia com as elevadas aspirações do Sistema Educacional Brasileiro, expressas nos Parâmetros Curriculares Nacionais que enfatizam, no contexto dos objetivos de Língua Portuguesa e de Matemática para o 1º ciclo, valores, normas e atitudes, essencialmente, em termos de respeito ao próximo, valorização da cooperação, interesse por ouvir e manifestar sentimentos e preocupação com a comunicação interpessoal.

“Quando trabalhamos com competências emocionais, estamos falando de: consciência emocional, adequação emocional, autonomia emocional, habilidades socioemocionais, habilidades para a vida e o bem-estar emocional, entre outras. Presentear as crianças com o desenvolvimento destas habilidades é presentear com uma luz ou um caminho que antes parecia não existir.

O Programa chegou até mim num ano bastante difícil, em que dava aula para uma turma que trazia para a sala de aula problemas sociais bastante complexos. Crianças com histórias de abandono, violências emocionais e sociais, e, algumas até físicas.

Claro, que a agressividade deste grupo era grande, deles com eles mesmos, com colegas, com a vida. Eu sabia que tinha em minhas mãos pequenas pedras preciosas que estavam presas, encrustadas, e que precisavam apenas de orientação e apoio para se libertarem e seguirem seus caminhos com o brilho intenso que cada uma tem.”

Amigos do Zippy: Todos nós enfrentamos situações difíceis em nossas vidas, que despertam em nós sentimentos desagradáveis, como tristeza, raiva, medo e muitos outros. E sabemos que com as crianças não é diferente. A professora Carolina relatou acima algumas dificuldades que os alunos vivenciam no contexto em que atua, e certamente é fundamental que desenvolvam recursos para lidar com essas demandas.

A boa notícia é que o programa Amigos do Zippy é universal, ou seja, independente do contexto, cultura, situação sócioeconômica em que a criança esteja inserida, ela será beneficiada ao participar do programa! Afinal, todos nós temos sentimentos e precisamos aprender a lidar com eles, não é mesmo?

Na próxima semana vamos publicar aqui no Blog a segunda parte do depoimento da professora Carolina, com relatos sobre os impactos do programa Amigos do Zippy em seus alunos e também na sua vida pessoal!

Se você quer saber mais sobre o Programa Amigos do Zippy e como participar, acesse nosso site e entre em contato conosco:

www.az.org.br

Deixe uma resposta