Lidando com mudanças e perdas

Por: Andréa C. Modente caiunteiro

Nosso penúltimo texto-índice traz esta semana um apanhado de nossas postagens sobre mudanças e perdas. Se você gostaria de saber sobre algo relacionado ao tema que não encontrou aqui, conte para nós!

Mudanças são parte de nossas vidas.

Embora mudanças sejam frequentes na nossa vida, normalmente não as vemos como parte dela. Diferente disto, mudanças podem ser percebidas como rupturas. Daí a importância de aprendermos desde cedo a lidar com os sentimentos que elas podem gerar.

Mesmo crianças, podemos vivenciar mudanças significativas, como a mudança de casa, a chegada de um irmão ou a separação dos pais. Mas mudanças menores podem ser igualmente desafiadoras, como a falta da professora ou a mudança de ano na escola.

E como nós, adultos, podemos ajudar as crianças a lidar com mudanças, como na adaptação escolar ou no fim do ano letivo?

É certo que este também é um aprendizado. E você pode encontrar algumas ideias aqui.

Mas, você pode pensar, para algumas mudanças, como a morte de um ente querido, nós nunca estaremos preparados, não é?

Sim, lidar com a morte é sempre desafiador. Mas quando podemos falar sobre isto abertamente e dar chances para as crianças expressarem dúvidas e fantasias, damos espaço para que elas possam, em situações reais presentes ou futuras, lidar com a perda sem o peso extra destas dúvidas e fantasias. Mesmo adultos podemos experimentar alívio ao falar sobre isto, como você pode ver neste depoimento.

E dentre tantas coisas que podemos fazer para lidar com mudanças e perdas, está o hábito de cultivar boas lembranças. Rever fotos da casa antiga, encontrar velhos amigos, telefonar para alguém que mora longe. Seguir em frente, mas sem deixar para trás tudo o que já vivemos de bom: isto é sinal de Saúde Emocional.

 

11025846_741894869257289_8563116637534534480_o

Andréa C. Monteiro

Psicóloga, psicopedagoga e mestre em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz, atua na área de Educação Emocional há  10 anos.

2 comentários sobre “Lidando com mudanças e perdas

  1. Oi Andréa, muito bacana seu texto e suas dicas. Sou psicóloga e gostaria muito de trabalhar com Educação Emocional. Faço um trabalho voluntário em um Caps infantil da prefeitura, será que consigo fazer um trabalho em grupo com as crianças de 6/7 anos no Postinho?! Se puder me escrever, meu e-mail é marianamusapsic@gmail.com
    Obrigada!

    1. Olá Mariana,

      Ficamos muito felizes em saber que você gostou do texto e das dicas. Uma pessoa da nossa coordenação irá entrar em contato com você para esclarecer as suas dúvidas.
      Obrigada pela visita e caso ainda não conheça a nossa fanpage, venha conhecer-nos no facebook.
      http://www.facebook.com/AmigosdoZippy

      Abraços,
      Equipe ASEC

Deixe uma resposta